Nutrição simples e prática para seu dia a dia.

Alguma vez em sua vida, você já ouviu falar sobre Óleo MCT? Se não, fique tranquilo, pois, ele está começando a se destacar mais agora. No entanto, os suplementos de triglicerídeos de cadeia média (TCM ou MCT, que é a sua sigla em inglês), tiveram mais utilização há pouco tempo. No entanto, a sua adoção, se dá ao fato de possuir mais eficiência  ao substituir o óleo de coco, em especial nas dietas cetogênicas.

O conteúdo que trouxemos hoje, é para quem já ouviu ou sabe o que é o Óleo MCT, como também é para quem nunca ouviu falar sobre ele. Pois, a seguir, vamos apresentar muitas informações úteis sobre este suplemento, e o que ele tem de diferente do óleo de coco, confira!

Afinal, o que é MCT?

O MCT (Mediun Chain Triglyceride) se trata do termo em inglês para TCM (triglicerídeos de cadeia média), que é uma importante fonte de energia em uma dieta cetogênica ou baixa em carboidratos, onde a ingestão de carboidratos é baixa.

Basicamente, se trata de uma combinação de ácido caprílico (C8) e ácido cáprico (C10). Portanto, o MCT é uma fonte de gordura que estimula um estado de cetose, estado em que o corpo utiliza gordura em vez de carboidratos como fonte primária de energia.

Além disso, os MCTs tem uma absorção de forma direta na corrente sanguínea e transportados por todo o corpo com mais rapidez e eficiência do que os TCLs (triglicerídeos de cadeia longa). Então, constituem uma importante forma de gordura encontrada na dieta humana. Além disso, a sua introdução campo clínico aconteceu há mais de 50 anos, substituindo as LCTs por fornecerem energia de forma simples.

O MCT pode ser encontrado no óleo de coco, óleo de palma e lácteos. Mas, o seu consumo é feito na forma pura e em grandes quantidades por meio de suplementos. Por sua vez, você pode encontrar o TCL em óleos como azeite e óleo de soja.

Quais são as características do MCT?

O MCT é conhecido por ser uma fonte rápida de energia e, ao contrário de outros óleos, não requer que os sais biliares sejam absorvidos pelo intestino. Então, é como se ele tivesse um passe livre em nossos corpos.

Saiba como os MCTs fluem: uma vez absorvidos no intestino, os MCTs são rapidamente transportados para o fígado. No entanto, uma vez que atinge as células do fígado, ao contrário de outras gorduras que usam carnitina, é novamente livre para entrar nas mitocôndrias (as organelas responsáveis ​​pela produção de energia que aprendemos na escola).

Devido a este processo metabólico mais rápido, o MTC é menos provável de ser depositado e armazenado no corpo, levando à esteatose hepática ou ao aumento de tecido adiposo. veja as principais características do MCT:

  • Inodoro (não possui cheiro);
  • Insípido (não possui sabor);
  • Nenhum ácido graxo essencial está presente na composição;
  • É possível encontrar em pó ou óleo;
  • Tem poder para aumentar o valor calórico das refeições;
  • É uma fonte alternativa de combustível para o cérebro quando existe a ausência de glicose.

Para que o MCT serve?

O MCT é altamente recomendado para quem patica dietas cetogênicas e low-carb. Pois, ele tem a capacidade de fornecer a energia que o corpo precisa para realizar suas funções vitais, mesmo sem precisar ingerir quantidades altas de carboidratos. segundo resultadas de estudos, o MCT pode contribuir para:

  • Ele contribui para a perda de peso, pois, ajuda a aumentar o gasto energético, a queima de gordura e a saciedade;
  • Favorece a sensação de saciedade, como demonstrado em estudo relacionado aos MCTs e ingestão alimentar;
  • Queima de gordura, aumentando a biossíntese mitocondrial (a formação de novas mitocôndrias, queimamos gordura) e fornecendo energia sem aumentar os níveis de glicose e insulina.

Portanto, vale destacar que ao ter um maior consumo de gorduras boas (como os MCTs), ao mesmo tempo, em que limita o consumo de carboidratos, o organismo passa a interpretá-los como “combustível” necessário para sua função, Então, isso pode reduzir o consumo de carboidratos como dependência energética.

Quais são os principais benefícios do MCT?

  • Ajuda a aumentar a oxidação da gordura (em comparação com os hidratos de carbono) durante o exercício aeróbico;
  • Ajuda a melhorar a palatabilidade da dieta cetogênica;
  • Ele pode ajudar no aumento da saciedade;
  • Pode reduzir o apetite ao longo do dia;
  • Ele pode melhorar a função cognitiva em adultos e idosos.

O que é óleo de coco?

O óleo de coco, se trata de uma gordura saturada derivada da extração do fruto do coco. Além disso, você pode encontrar dois tipos principais: o óleo de coco refinado, este não possui sabor nem cheiro, e o óleo de coco extra virgem, este possui baixa acidez de até 0,5% e não é submetido a altas temperaturas durante a extração.

O óleo de coco ganhou popularidade na mídia devido a sua oferta de possíveis benefícios à saúde, como, por exemplo, para o coração, nos níveis de colesterol e até na perda de peso. Além disso, existem evidências limitadas, mas já consistentes, de que o ácido láurico presente no coco pode ter atividade antibacteriana. No entanto, os produtos que possuem óleo de coco também podem ser usados ​​para tratar a dermatite atópica, bem como prevenir cáries e danos ao cabelo.

No entanto, cabe ressaltar que as revisões e orientações não recomendam a substituição completa de óleos vegetais ricos em gorduras insaturadas pelo óleo de coco.

Quais sãos as diferenças entre Óleo MCT e óleo de coco?

O óleo de coco consiste em média de 90% de gordura saturada, que contém ácidos caprílico e cáprico.

No entanto, aproximadamente 47% da massa gorda corresponde ao ácido láurico (C12). Conhecido por suas propriedades antibacterianas, tem uma capacidade limitada de alimentar os músculos e o cérebro em comparação com os ácidos caprílico e cáprico. Pois, embora o ácido láurico seja estruturalmente classificado como MCT, seu papel biológico é o mesmo do TCL.

No entanto, no caso dos suplementos de MCT combinam apenas ácidos caprílico e cáprico em até 7 vezes a concentração encontrada no óleo de coco. Comparado ao ácido láurico (C12), eles fornecem energia de maneira aprimorada, formando corpos cetônicos e, por causa de suas cadeias de carbono menores, o fígado metaboliza de forma mais rápida.

Veja a seguir as principais características de cada um para uma melhor comparação:

Principais características do óleo de coco

  • Presença em maior parte do ácido láurico (C12), cerca de 47%;
  • Possui pouco ácido caprílico, cerca de 7% e menos ainda de cáprico, com cerca de 6%;
  • Sabor muito característico do coco;
  • Com as temperaturas abaixo de 25°C ele pode solidificar.

Principais características do Óleo de MCT

  • Sua composição contém 60% de ácido caprílico e 40% de ácido cáprico, que são as fontes de energia rápida;
  • Não contém ácido láurico (C12);
  • Não possui saber nem aroma;
  • Sem limite de temperatura para solidificar;
  • Possui um maior nível de solubilidade.

Exite um melhor entre eles?

A resposta ideal para essa pergunta é: depende! Se você quiser aproveitar os benefícios do MCT, sua melhor aposta é o óleo MCT puro. Pois, grandes quantidades de óleo de coco são necessárias para obter níveis relevantes de MCTs no metabolismo energético. Para usos culinários ocasionais, como na preparação de bolos, e para quem tem alergias ou intolerâncias ao leite ou lactose, o óleo de coco de trata de uma opção excelente! Além disso, deixa um delicioso sabor de coco no preparo.

Você se inscreveu com sucesso em Nutricionando
Bem-vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Verifique seu e-mail para obter o link mágico para entrar.