Nutrição simples e prática para seu dia a dia.

Quando ingerimos qualquer alimento, dentro do nosso organismo ocorre o processo de digestão. Nesse percurso, os alimentos passam por diversos órgãos e as enzimas agem sobre ele. Essas enzimas auxiliam na absorção de nutrientes e automaticamente aceleram a perda de peso, por isso, são chamadas de “seca barriga”. Contudo, o seu uso contínuo melhora o sistema imunológico e a digestão, dessa forma diminui a inflamação e sua saúde intestinal fica melhor.

O que são as enzimas?

Podemos dizer que as enzimas são proteínas que quebram as moléculas dos alimentos em substância bem pequenas e mais simples, elas facilitam o processo de metabolismo das pessoas. Se não existisse as enzimas, nosso corpo iria gastar mais tempo para digerir os alimentos, além de ser necessário gastar mais energia para completar o mesmo processo.

Quais são os tipos de enzimas?

No decorrer do dia, as pessoas consomem diferentes tipos de alimentos com diversos componentes, como proteínas, gorduras, carboidratos, e muitos outros. Por essa razão, há diversos tipos de enzimas que atuam nesses variados tipos de alimentos, conhecidos também como “substratos”. A seguir, veja os nomes delas:

Substrato que atua no peróxido de hidrogênio: Catalese.

Substrato que atua na digestão da lactose: lactase.

Substrato que atua na digestão dos lipídeos: Lipase.

Substrato que se encontra junto às proteínas: Protase.

Substrato ligado à digestão Urase.

Substrato que atua na duplicação do DNA: DNA polimerase, entre outros.

Veja o processo de digestão

Antes de ser totalmente quebrado em pequenas moléculas, os alimentos passam por vários processos. Com a quebra, o corpo absorve o nutrientes e elimina o que não é saudável. No decorrer desses percursos, o alimento passa por vários canais e órgãos, e sofrem a ação das enzimas. Veja todo o caminho que o alimento percorre depois que a colocamos na boca:

Na boca a comida passa pela mastigação, é quando trituramos o alimento e misturamos com a saliva. Nessa etapa, a enzima ptialina/amilase, quebra o amido em pequenas moléculas e as transforma em maltose.

Após engolir, o alimento passa pela faringe e pelo esôfago, e é encaminhada para o estômago, lá ele fica por pelo menos 1 hora e passa a sofrer a ação do suco gástrico, um líquido muito ácido com ph 2, que facilita a ação de outra enzima, conhecida como pepsina.

Do estômago a comida vai para o intestino delgado, onde passará por maior tempo no processo de digestão. No intestino delgado os alimentos receberão a influência das enzimas tripsina e bile que o fígado e o pâncreas produzem.

A última etapa do processo de digestão é o intestino grosso. Esse órgão é dividido em três partes: o cólon, o ceco e o reto. No cólon e no ceco são feitas as absorções da água e dos sais minerais. Já o reto tem a função de expelir o que sobrou dos alimentos e não será absorvido pelo nosso organismo. Contudo, o reto leva esses restos de alimentos até o anus para que eles sejam expelidos.

Nosso corpo necessita da presença dessas enzimas para que o processo de digestão dos alimentos seja feito e o corpo consiga absorver todos os nutrientes necessários e expelir apenas o que não será absorvido pelo organismo.

Veja como as enzimas digestivas atuam na perda de peso

O processo de emagrecimento acontece porque as enzimas digestivas ajudam na absorção de nutrientes, dessa forma acelera a perda de peso, por isso, são conhecidas como “seca barriga”. Essas substâncias são proteínas que facilitam as reações químicas ou transformações que ocorrem em nosso corpo. Isto é, elas auxiliam na conversão de proteínas em aminoácidos, carboidratos em açúcar e lipídios em ácidos graxos. Portanto, essas moléculas são fundamentais para  que nosso corpo funcione de forma perfeita. Quando as toxinas são eliminadas do nosso organismo,  nosso metabolismo funciona bem melhor.

Contudo, as enzimas são facilmente encontradas em alimentos crus, como vegetais e frutas. Porém, é importante ressaltar que cada grupo de comida requer uma enzima específica para fazer a quebra, como protease, lipase e amilase.

O nosso corpo produz as enzimas digestivas de forma natural, porém elas também estão disponíveis na forma de suplementos. Esses suplementos são usados com frequência para melhorar condições como intolerância à lactose e outros problemas digestivos.

Os inibidores de enzimas ajudam na perda de peso?

Mesmo que as enzimas digestivas não aceleram diretamente a perda de peso, algumas pesquisas apontam que elas podem ser inibidoras de enzimas. Contudo, os inibidores de enzimas digestivas agem diminuindo a absorção de alguns macronutrientes e às vezes são usados no tratamento da obesidade para acelerar a perda de peso.

Segundo um estudo, a suplementação com um inibidor da amilase extraído do feijão branco pode aumentar a perda de peso e gordura humanos.

Portanto, outro estudo descobriu que o bloqueio da ação da tripsina, uma enzima protease responsável por quebrar proteínas, diminui a ingestão de alimentos e o ganho de peso em ratos.

Além do mais, os inibidores de lipase são utilizados para diminuir a absorção de gordura, isso também resulta em perda de peso. Particularmente, um inibidor de lipase conhecido como orlistat pode diminuir a absorção de gordura em até 30%. Isso acontece porque, a produção de lipase é diminuída no estômago e no pâncreas, o que ocasiona a perda de peso. Um dos efeitos colaterais dos inibidores de lipase são a diarreia, gordura nas fezes e dor de estômago.

Aplicação de enzimas na barriga

Há pessoas que fazem a aplicação de enzimas na barriga para intensificar a quebra dos lipídeos nesta região. As pessoas que costumam fazer esse procedimento relatam que as moléculas, quando são injetadas diretamente na barriga, aceleram o metabolismo, melhorando a circulação e promovendo a eliminação de gordura localizada.

Uma das mais usadas são a Thermoyalo, Lipoderme e Lipo Ayslim. contudo, o processo é realizado duas vezes por semana no decorrer de um mês e promete diminuir até cinco centímetros de circunferência na região da barriga. portanto, é importante ressaltar que os resultados variam de pessoa para pessoa e não são para sempre. Ou seja, com um tempo essa gordura pode voltar. Além do mais, esse procedimento pode ser muito perigoso, caso a pessoa faça de forma incorreta ou com produtos errados - isso pode gerar problemas, como necrose dos tecidos.

Você se inscreveu com sucesso em Nutricionando
Bem-vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Verifique seu e-mail para obter o link mágico para entrar.