Nutrição simples e prática para seu dia a dia.

Há muitos tipos de dietas que podem se tornar rápido populares e obsoletas. De modo geral, isso procede, pois, são tipos insustentáveis ​​e, embora possam reduzir o peso (o motivo mais comum de sua procura), não fornecem ganho de qualidade de vida no longo prazo.

No entanto, a Dieta da Zona parece ser uma exclusão. Instituída há mais de 20 anos por meio do bioquímico estadunidense Barry Sears. Este tipo nutricional propõe vantagem à saúde (incluindo perda de peso) ajustando o corpo para uma melhor função metabólica.

Além disso, não há consenso científico sobre a validade do caso e os resultados desta dieta, no entanto, ela está há décadas devido a êxitos intrigantes. Ficou curioso para saber como esta opção funciona? Então, continue a leitura para saber mais a respeito da Dieta da Zona.

Como funciona a Dieta da Zona?

O primeiro assunto a saber a respeito da Dieta da Zona é o que Sears chama “zonas”. O termo pode implicar falsamente que é uma dieta que permite perder peso em uma área específica, em uma zona determinada do corpo.

No entanto, na verdade, não tem nada a ver com isso. A “zona” em forma farmacológicos é a quantidade de medicamento necessária para ser justa e eficiente. Pois, o Sears acredita que o melhor remédio que temos é o alimento e que devemos usar ele como medicamento segundo a dose, medida e frequência de “administração”. Para atingirmos os mais altos níveis de saúde física e mental.

Por isso, “zona” é requisito ideal onde nosso organismo pode agir com a máxima eficácia. Assim, é uma dieta que não se importa com calorias, mas acha essencial regular a formação de hormônios. Sobretudo com os alimentos certos, você pode impulsar a formação de eicosanóides, hormônios que seguem o metabolismo e o desempenho físico.

Esse regime alimentar personaliza as proporções precisas de carboidratos, macronutrientes, gorduras e proteínas gastas a cada dia, dividindo cada refeição nas seguintes porcentagens: 30% de proteína, 30% de gordura e 40% de carboidratos.

Mas, também é importante entender os alimentos que impulsionam a insulina e reduzem seu consumo. O Sears classifica os alimentos como limitados, favoráveis ​​ou desfavoráveis de acordo com o índice glicêmico que eles tem. Especificamente, o Sears desenvolveu uma forma que produz a quantidade ideal de insulina para garantir que o metabolismo do corpo funcione em todo o seu potencial.

Quanto aos carboidratos, aqui está um detalhamento deles:

  • Os carboidratos a serem limitados: as frutas e os vegetais anteriormente excluídos; cereais e derivados (pão, macarrão, arroz, etc.); sucos de frutas.
  • Carboidratos favoráveis: vinho tinto (com moderação); todos os legumes, vegetais, exceto as batatas, a abóbora, a cenoura, a beterraba; todos as frutas, exceto banana, manga, papaia, melancia, cacau, uvas secas, tâmaras secas e figos secos; aveia.
  • Carboidratos a evitar: bebidas açucaradas, refrigerantes bebidas industrializadas; doces industrializados; bebidas alcoólicas.

Assim, durante o dia, para manter os hormônios estáveis, a alimentação é partida em três refeições principais clássicas. Além de dois lanches (estes também necessitam respeitar a medida de nutrição). Um dos quais é incomum e deve ser feito cerca de meia hora antes de ir para a cama.

Também é importante permanecer nessa dieta não passar mais de cinco horas sem comer. Aliás, esta dieta também deve estar ligada a:

  • Suplementos de ômega 3;
  • Atividade física;
  • E controle do estresse diário (que ajuda a diminuir o cortisol).
O que é a dieta da zona?
Photo by jahir martinez / Unsplash

O que comer na Dieta da Zona?

A Dieta da Zona permite que você coma muitos alimentos e, o mais importante, coma muito vegetais e frutas para garantir que a insulina seja gradualmente impulsionada sem quedas ou picos.

Igualmente importante é a ingestão de proteínas, especialmente, de leguminosas, carnes brancas, peixes e ovos. No entanto, os carboidratos são bem restritos devido ao seu índice glicêmico, e as gorduras são preferíveis às fontes vegetais, como abacate, azeite de oliva ou nozes.

Além disso, certos alimentos são bloqueados ou severamente restringidos nessa dieta. Eles são os cereais, doces e outros produtos com grande índice glicêmico, como arroz, macarrão, cereais refinados, pão, além de gorduras saturadas, álcool e cafeína.

Para recapitular, os alimentos aconselhados são:

  • Abacate;
  • Azeite de oliva;
  • Carne branca;
  • Frutas (exceto as muito doces como bananas, figos, uvas);
  • Leguminosas (feijão, lentilha, grāo de bico, etc);
  • Nozes, avelãs;
  • Óleo de peixe;
  • Ovos;
  • Peixes;
  • Verduras (legumes em geral, exceto batatas, abóbora, cenouras e beterrabas).

Os alimentos que não são aconselhados ou severamente restringidos são:

  • Arroz;
  • Açúcar;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Carne vermelha;
  • Cafeína;
  • Cereais refinados;
  • Doces;
  • Macarrão;
  • Pão;
  • Queijos gordurosos;
  • Refrigerantes;
  • Suco de frutas.

Existem contraindicações?

É importante notar que esta dieta é rica em proteínas, superior ao que é de modo geral recomendado para todos. Há poucas evidências e pesquisas que comprovem a eficácia desta opção, por isso vale a pena consultar um nutricionista antes de adotar ela.

Mas, a longo prazo, o exagero de proteína pode sobrecarregar os rins, aumentar as taxas de filtração e alterar sua hemodinâmica, então, é preciso o acompanhamento médico e nutricional para prevenir possíveis complicações.

Benefícios Para a Saúde

Além de perder peso, você experimentará demais benefícios para a saúde. No entanto, pessoas com diabetes usaram esta dieta com sucesso para controlar a diabetes, e pessoas em risco de doenças cardíacas a usaram para melhorar sua saúde cardiovascular.

Cardápio da Dieta da Zona

Como falamos, a Dieta da Zona é uma dieta adaptada às características individuais. Dessa forma, é planejada por meio de um plano de “bloco” de gorduras, carboidratos e proteínas, que seguem uma medida de 40:30:30, o que não é fácil de fazer sozinho sem o auxílio de um profissional. Mas, aqui está um exemplo de um menu de um dia para alguém que adota essa dieta:

  • Café da manhã: frutas frescas ou secas, iogurte.
  • Merenda: frutas frescas daquelas permitidas, iogurte, ovo cozido, ricotta fresca ou presunto magro, ou similar.
  • Almoço: salada temperada com óleo e vinagre ou peito de frango com legumes mistos cozidos.
  • Jantar: tofu ou omelete com outros vegetais, peixe com salada ou legumes. Você pode inserir alguns cereais como cevada, aveia, entre outros.
  • Merenda: (meia hora antes de dormir): fruta fresca permitida, ovo cozido, iogurte, ricotta fresca, presunto magro ou peito de peru.

Veja também:

Dieta para CrossFit: Nutrição, Benefícios e Cardápio | Nutricionando
Nutrição é vista como a base do treinamento CrossFit e crítica para o desempenho. Aqui está um olhar mais atento sobre a dieta para CrossFit, incluindo alimentos para comer e evitar, benefícios, desvantagens e um menu de amostra.
Dieta e Desempenho Esportivo | Nutricionando
A ligação entre boa saúde e boa nutrição está bem estabelecida. O interesse pela nutrição e seu impacto no desempenho esportivo é agora uma ciência em si.
Os 15 melhores alimentos para comer depois de correr | Nutricionando
Embora muita atenção esteja centrada em torno do que comer antes de correr, o que você come depois é igualmente importante. Aqui estão os 15 melhores alimentos para comer depois de sua corrida.

E os exercícios?

Além da nutrição adaptada, a atividade física também é essencial. A atividade física, juntamente com a dieta, tem um papel essencial na prevenção de doenças crônicas e no controle do ganho ou perda de peso. Isto é principalmente essencial, pois esta dieta pressupõe que o corpo está frequentemente inflamado quando confrontado com uma dieta pobre e um estilo de vida sedentário.

Portanto, impulsionar o metabolismo para “subir no eixo” pode prevenir uma variedade de doenças. Além de promover qualidade de vida e bem estar. É essencial combater a inflamação para prevenir o crescimento de algumas doenças crônicas não transmissíveis, como problemas cardiovasculares, obesidade e diabetes.

Difícil de se adequar para veganos e vegetarianos

Os veganos e vegetarianos podem achar difícil participar de uma Dieta da Zona, pois o uso de proteínas é um fator necessário. Além disso, caso você consuma a medida certa de proteína, o corpo não funcionará em sua capacidade ideal e a perda de peso se tornará difícil de atingir.

Críticas

É preciso destacar que muitos dos colegas do campo de ciência de Sears criticaram sua dieta, falando que suas alegações são exageradas e carecem de evidências.

Assim, aqueles que queiram provar a Dieta da Zona vão ter que consultar seu médico antes de mudar radicalmente seus hábitos alimentares.

Mas, também é necessário destacar que a fase inicial da dieta pode deixar o indivíduo exausto, fraco e desconfortável. Estes efeitos desaparecem com o tempo.

Você se inscreveu com sucesso em Nutricionando
Bem-vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Verifique seu e-mail para obter o link mágico para entrar.