Nutrição simples e prática para seu dia a dia.

Todos os alimentos industrializados no país precisam ter a tabela nutricional, é uma obrigação dos fabricantes.

Existem diversas regras existentes quando o assunto é saber como fazer rótulos para produtos alimentícios e só as pessoas que atuam nessa área sabem o quanto é desafiador.

As pessoas que estão de fora desse ramo, ou simplesmente estão começando nesse setor, pensam que essa é uma tarefa simples, portanto, ela é uma obrigação tão exigente e cuidadosa quanto as que envolvem a qualidade do produto.

Existem uma série de regras e obrigações que rege a indústria alimentícia, isso acontece em todos os setores, como limpeza, organização,entre outros,  além da fabricação dos rótulos que também possuem suas especificações e obrigatoriedade.

Nesse artigo você vai entender como funciona o processo de fabricação dos rótulos de produtos alimentícios.

A principal função da tabela nutricional é informar aos consumidores as propriedades e a composição nutricional do alimento. Contudo, baseado nessas informações, os consumidores podem adquirir produtos semelhantes e saber quanto de cada nutrientes estão ingerindo ao consumir um certo alimento.

Como é feito os rótulos para produtos alimentícios: o que precisa constar nele?

A primeira coisa é a obrigatoriedade do ramo alimentício. também é preciso ter a designação de venda que é a informação que define o produto, de acordo com estudo técnico da legislação brasileira. Dessa forma, existem critérios que determinam  o que é cada produto.

Por exemplo, existe um critério básico para relatar o que é o Azeite de Oliva, qualquer produto que queira ser vendido como azeite de oliva tem que estar dentro dessas características. Por isso que vários alimentos contam com pequenos “truques” em seus rótulos, como por exemplo, “bebida sabor laranja” em vez de “suco de laranja''. Visto que existem critérios bem claros sobre o que o suco e o que é uma bebida.

Também é necessário ter a lista de ingredientes do produto, de preferência em ordem decrescente por quantidade.

A origem do produto, ou seja, o local onde foi fabricado, e informações necessárias, como nome da empresa, endereço de fabricação e dados de contato (SAC).

Outra informação importante é o lote e prazo de validade, é importante ressaltar que os alimentos com prazos de validade menores que três meses , também devem ser informados, já os produtos com mais de 3 meses de validade são informados apenas o mês e o ano.

É preciso informar o conteúdo líquido, como quilos, ml e litros, existem alguns casos que também é necessário informar a massa do conteúdo drenado. Contudo, essa informação mostra o peso da embalagem sem outros adicionais.

A informação nutricional também é obrigatória em grandes partes dos casos. Além das informações nutricionais complementares que estão relacionadas aos atributos dos alimentos.Um exemplo são aqueles dados sobre teores reduzidos de gordura e açúcar, entre outros elementos.Também é necessário a informação sobre produtos alergênicos como a presença ou ausência de lactose,glúten.

Quais produtos não precisam apresentar a informação nutricional?

De acordo com a ANVISA, os produtos que são dispensados das informações nutricionais são:

os produtos que possuem apenas um ingredientes, como feijão, arroz e açúcar;

também não precisam dessas informações, os produtos que são vendidos de forma fracionadas, como queijos e presuntos;

As frutas, verduras e legumes comercializados in natura também não precisam conter as suas informações nutricionais;

os produtos que possuem superfície da embalagem com menos de 100 cm² também não precisam de informações nutricionais;

também não é necessário apresentar as informações nutricionais dos produtos prontos para o consumo e embalados em restaurantes.

O que não pode constar no rótulo?

Já vimos quais são as informações que precisam estar contidas nos rótulos das embalagens de alguns produtos, portanto, é hora de saber quais as informações que não devem conter nos rótulos dos produtos.

É proibido pela ANVISA, que os rótulos de alimentos industrializados tragam  informações que não possam ser comprovadas. Além de qualquer indicação de substância errônea, quando o rótulo induz o consumidor a acreditar que um alimento pode substituir outro.

Um exemplo claro de substituições errôneas é quando um produto, como um doce de frutas, afirma que substitui a fruta em si.

Também é proibido pela ANVISA, conteúdo que demonstre efeitos e propriedades incorretas.Um exemplo clássico,são os rótulos que indicam que o alimento possui propriedades que age na diminuição do risco de alguma doença e evita problemas ósseos.

Além do mais, os produtos que destacam a presença ou ausência de ingredientes comuns em alimentos também são vedados. Um exemplo claro é quando um produto afirma algo do tipo “não contém colesterol” em um suco natural.

Veja as informações nutricionais obrigatórias nos rótulos dos produtos alimentícios

Na grande maioria das vezes, quando compramos algum alimento, nem prestamos atenção no que está escrito no rótulo. Porém, lá estão contidas as informações importantes sobre as características do alimento. Veja quais são essas informações que são obrigatórias ter no rótulo:

O valor energético em kcal, e kj;

Os carboidratos;

As proteínas;

As gorduras trans;

As fibras alimentares;

A quantidade de sódio;

Os minerais e vitaminas com pelo menos 5% do valor diário.

Todos esses itens, serão discriminados em quantidades por porção e porcentagem diária.

Contudo, a porção precisa estar em grama ou mililitro e também apresentar a medida caseira, como colher, copo, fatias e unidades.

Como fazer o cálculo da tabela nutricional do seu produto.

Com o valor da porção em mãos, é hora de fazer os cálculos dos itens da tabela nutricional. No exemplo vai ser usado um bolo, cuja porção é de 60g ou uma fatia.

É necessário fazer uma lista de todos os ingredientes da receita e quantidades.

Essa receita é suficiente para 4250 gramas de bolo. A porção necessária é de 60g, nesse caso vamos usar a regra de três em todos os ingredientes para uma receita de “um bolo de 60g”.

Para a farinha:

1000g de farinha = 4250g de bolo

X de farinha = 60g de bolo.

Você se inscreveu com sucesso em Nutricionando
Bem-vindo de volta! Você fez login com sucesso.
Ótimo! Você se inscreveu com sucesso.
Seu link expirou
Sucesso! Verifique seu e-mail para obter o link mágico para entrar.